Setor de Eventos pode oferecer oportunidades únicas mesmo no olho da tempestade

Setor de Eventos pode oferecer oportunidades únicas mesmo no olho da tempestade

2020 foi um ano desafiador para muitos setores do comércio e de serviços, principalmente para o ramo de eventos.

Um levantamento feito pelo Sebrae, em abril, mostrou que a pandemia do Coronavírus afetou 98% do setor de eventos.

De fato, a perspectiva para os meses que se seguiram não foram nada positivas…

Empresas do ramo de eventos em hotelarias, congressos, jogos, feiras e exposições buscaram se movimentar para adiar datas ou transferir locais dos encontros.

Em 2019, o cenário era tão diferente que previa-se o aumento do segmento, e não sua recessão.

73% das empresas de eventos esperavam maior faturamento em 2020, ( Abeoc)

Até então, o setor de grandes eventos tinha uma projeção de crescimento na economia do País.

Por exemplo, a Copa do Mundo em 2014 e as Olímpiadas em 2016, movimentaram R$30 bilhões a mais no PIB e gerou mais de 200 mil trabalhos temporários.

Além disso, atraiu 3,7 milhões de turistas no País, segundo o Ministério do Turismo.

O Rock in Rio de 2017, movimentou R$1,4 bilhão, despertando interesse de produtoras a fazer outros grandes eventos nacionais e trazer outros internacionais ao país.

Já o Rock in Rio de 2019 atraiu 450 mil turistas e movimentou R$ 1,7 bilhão, de acordo com secretaria de turismo do RJ.

Dados do Ministério da Cultura apontam que o potencial do setor é fruto da diversidade cultural brasileira, que encontra poucos paralelos no mundo.

Criamos uma economia criativa, que tem resultados maiores que outros tradicionais (como o têxtil e o de eletroeletrônicos), sendo responsável por 2,65% do PIB.

A quarentena causada pelo novo Coronavírus fez com que o consumo de mídias e os serviços online disparassem em todo o mundo.

Em momentos de crise uma forma de criar relevância e força de ação é se associar a outras marcas ou profissionais para criar conteúdos ricos a serem compartilhados em eventos online.

30,1% dos empresários estão aprimorando a gestão empresarial.

De fato, há uma preocupação em buscar soluções para sobreviver a este momento e se preparar para a retomada dos negócios.

Outra preocupação também é o relacionamento com o mercado: 25,2% dos entrevistados estão fortalecendo essa relação.

As medidas adotadas durante a quarentena para evitar a falência abrangem a capacitação de funcionários.

17,2% dos empresários investem em qualificação da equipe para esse novo momento, e 15,5% adotam o uso de novas tecnologias.

   (Por Rodrigo Moreira - SMARTALK -Atualizado em 11 de dezembro, 2020)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *